Segundo estudo, leitura modifica estruturas no cérebro dos bebês – Colégio Florença – Educação Infantil
Universo Infantil - 01/12/2016

Segundo estudo, leitura modifica estruturas no cérebro dos bebês

Esse estudo comprova em níveis biológicos que a leitura em voz alta faz bem para bebês e crianças.

colegio-florenca-ler-na-primeira-infancia

Texto retirado do HuffingtonPost [Tradução nossa]

Pediatras americanos frequentemente recomendam uma rotina de leitura aos pequenos.

Agora, pela primeira vez, pesquisadores têm evidencias claras que isso ativa partes do cérebro da criança pequena, que ajudam na formação das imagens mentais e compreensão narrativa – ambas chaves para o desenvolvimento da linguagem e alfabetização.

“Existe um bom número de estudos que encontraram evidências empíricas de que ler para crianças pequenas tem impactado na alfabetização e na fala”, comenta Dr. Thomas DeWitt, diretor do setor de pediatria geral e comunitária do Hospital Infantil de Cincinnati. “Mas antes do nosso estudo não tínhamos como responder se a leitura tinha realmente impacto biológico nas funções do cérebro”.

No estudo, publicado na revista Pediatrics, pesquisadores analisaram os cérebros de 19 crianças entre 3 e 5 anos, por meio de imagens de ressonância magnética (MRI). Os pesquisadores fizeram isso enquanto as crianças escutavam gravações de uma voz feminina lendo histórias, e depois enquanto eles escutavam apenas sons ambientes, para ver como o cérebro respondia a diferentes tipos de estímulos. A equipe também reuniu informações sobre como as crianças eram expostas à leitura em casa, perguntando coisas como frequência e os tipos de livros selecionados pelos pais.

O MRIs revelou que as crianças com maior incentivo à leitura em casa, tinham mais ativas as partes do cérebro responsáveis pela compreensão das narrativas e formação de imagens mentais. Seus cérebros demonstraram grande atividade nessas áreas enquanto elas escutavam histórias.

“Esse é um estudo pequeno e muito recente, mas é instigante por demonstrar que a leitura na primeira infância realmente impacta biologicamente partes do cérebro, que são fundamentais para a alfabetização”.

A Academia Americana de Pediatria, que publica a revista Pediatrics, tem sido enfática sobre a importância da leitura em casa ao longo da infância e primeira infância, defendendo que pode melhorar a linguagem, a alfabetização e outras habilidades menos tangíveis.

“Pais que investem tempo lendo para suas crianças criam laços de carinho, que são importantes para a cognição das crianças, linguagem e desenvolvimento sócio-emocional”, afirma a Academia de Pediatria.

DeWitt falou ainda que não é possível saber se há interferência da pessoa que lê em voz alta para a criança, seja o pai, a babá ou a professora. Essas questões devem ser temas para próximas investigações. Também é importante realizar outros testes similares em grande escala utilizando ressonância magnética.

Mas por enquanto, ele diz ter encontrado animadoras evidências biológicas do que muitos pais já sabiam: ler para seus bebês e crianças é importante e ajuda no desenvolvimento cerebral.

“Comece lendo livros desde cedo para seus filhos”, insiste DeWitt. “Ler o quanto antes – e com frequência – é importante.”


O que diz a pedagogia florença?

As “contações de histórias” fazem parte do cotidiano em nosso colégio e têm grande importância pedagógica. Nesse momento os bebês prestam atenção nos sons, na voz, na emoção e nos gestos da professora. É um contato natural com as palavras, que favorece a linguagem e os sentimentos das crianças.